Aprender o tempo todo. Do seu jeito

Como identificar nossa forma de aprender para nos tornarmos nossa melhor versão?

Estava tudo pronto para o lançamento das frentes de solução de aprendizado contínuo, desenhadas desde outubro do ano passado, quando os planos tiveram de ser alterados pela chegada da pandemia. Um imprevisto que demonstrou a necessidade de estarmos sempre abertos a aprender coisas novas para solucionar novos problemas.

Aprendizado é fundamental para a evolução, tanto de pessoas como de companhias
Jemima Freitas

Jemima Freitas, coordenadora da área de Aprendizados e Talentos da Porto Seguro, conta que, de um dia para o outro, tudo o que havia sido programado para acontecer presencialmente – entrevistas, interações – teve de ser adaptado para a nova realidade de trabalho remoto. ˝Essa mudança de rumos nos fez viver na prática a necessidade de movimento contínuo em nossa própria área. Afinal, tivemos de nos reinventar˝. 

Jemima Freitas, coordenadora da área de Aprendizados e Talentos (arquivo pessoal).

Nunca paramos de aprender

O conceito de aprendizagem contínua deriva do termo em inglês lifelong learning, que significa ˝aprendizado ao longo da vida˝, ou seja, aprender durante todo o tempo nas mais diversas situações. ˝Trabalhamos o conceito de aprendizado contínuo e autodirigido, ou seja, cada um vai buscar sua forma de aprender. As pessoas aprendem de formas diferentes, com coisas diferentes˝, explica Jemima.

Assim, abandonamos a ideia de que só é possível adquirir conhecimentos de maneira formal, dentro de salas de aula, ou que esse é um processo que começa no jardim da infância e acaba na pós-graduação. Ele não acaba nunca!

 

Todo mundo gosta de aprender

Acredite: até quem não presta atenção às aulas gosta de aprender. A questão é que cada um tem seu jeito de fazer isso. Descobrir o perfil de aprendizado mais adequado a cada um é tornar esse processo mais inclusivo. Todos os perfis e individualidades são valorizados, e ninguém fica de fora.

 

 

Há quatro perfis dominantes que determinam as formas como as pessoas aprendem. São eles: acomodador, convergente, assimilador e divergente. ˝Dentro dessa perspectiva, cada um vai buscar sua forma de aprender, impulsionado por sua curiosidade natural˝, explica Jemima.

As diferenças são sutis, mas determinantes para quem irá fazer a curadoria de conteúdos e sugerir ferramentas e materiais mais adequados para cada perfil. ˝Lançamos um questionário em que cada colaborador descobre qual é a sua forma de aprender. Há a possibilidade de compartilhar os resultados conosco para nos ajudar a pensar nas melhores ações de desenvolvimento.Tem gente que gosta de sala de aula, de assistir a filmes, TEDs, aulas on-line. Teremos opções para todos˝, completa.

 

Créditos: conteúdo de Pilar Jericó baseado em David Kolb


O perfil
acomodador corresponde à maioria da população. São pessoas que gostam de experimentar algo para aprender a partir de experiências concretas. É o famoso estilo mão na massa. 

Já o convergente quer entender as ideias e dar uso prático para teorias. 

Quem pertence ao perfil assimilador aprende por observação, de forma reflexiva. Para entender o que está colocado, estuda as ideias abstratas. Gosta do modelo mais tradicional de sala de aula. 

Por fim, o divergente combina a experiência concreta com observação. Pessoas com esse perfil aprendem em situações que geram ideias, como brainstormings e discussões em grupo. 

Aprender com o outro 

Outro conceito importante é o chamado aprendizado social, que significa aprender com o outro. Foi pensando em desenvolver essa habilidade que a área de RH elaborou a campanha das competências. 

O intuito da campanha é fazer com que as pessoas discutam entre si as competências, as identifiquem de forma mais clara, e vejam onde aplicá-las em suas rotinas. Temos duas coisas importantes aqui: aprendizado social e fomentar o entendimento das competências. 

Nossa melhor versão 

Vivemos um momento marcante para a organização, com o início da nova temporada e o estabelecimento de um desafio para os próximos cinco anos. 

Jemima coloca que existe um esforço da companhia para rever seus processos, desenvolver pessoas e alcançar seu sonho. A Porto Seguro quer ser a melhor companhia possível, e um dos caminhos para isso é desenvolver a perspectiva da aprendizagem contínua. 

Afinal, novos sonhos trazem novos desafios. E novos desafios nos pedem novas habilidades – que podem ser alcançadas por meio de ferramentas de aprendizado, o que justifica a importância do tema para o momento atual da Porto.  

˝Podemos estabelecer para nós mesmos um desafio paralelo. Qual é meu sonho? Onde quero chegar? Como posso ser minha melhor versão para mim e para as pessoas que eu amo?˝, finaliza Jemima.

Música do vídeo: LITHIS // ÖRONMUFFAR SOM ÄR ROSA OCH SÖTA

 

Comentários

{{comment.parent.comment_author}}
{{comment.parent.comment_date}}
{{comment.parent.comment_content}}
Comentar
{{children.comment_author}}
{{children.comment_date}}
{{children.comment_content}}
Comentar
Ver mais comentários

Matérias anteriores

Programa da Porto coloca em cena capacitação e empregabilidade
Um meio para quem sabe aonde quer chegar
Há doze anos, um porto seguro para quem ingressa no mercado de trabalho.