Instituto Porto Seguro: há 16 anos um porto seguro para a comunidade

Conheça um pouco mais o IP e as iniciativas para 2022

Fundado em 2005, o Instituto Porto Seguro tem como objetivo atender pessoas de baixa renda. Seu foco principal é a capacitação profissional, além de oferecer complemento escolar para crianças que estudam em escolas públicas e moram na região em que está localizado, no bairro dos Campos Elíseos, em São Paulo. Este complemento é oferecido em formato de contraturno, com atividades esportivas e artísticas no período em que as crianças não estão na escola. 

Andreia Alcantara, Sustentabilidade (arquivo).

Andreia Alcantara, da área de Sustentabilidade, explica que, assim como a Porto tem se transformado, os projetos sociais do Instituto têm sido alavancados. Sobretudo, durante a pandemia de Covid-19, o Instituto construiu o que ela chama de credenciais de inovação, conseguindo manter atividades que sempre foram presenciais no formato on-line com bastante sucesso. 

“Mantivemos os cursos profissionalizantes por meio de aulas totalmente on-line, os projetos com as crianças também. A Escola Empreendedora de Costura (falamos bastante dela aqui) passou a atuar com as costureiras em casa. E o Programa Jovem Aprendiz também. Os(as) jovens foram trabalhar em casa porque têm contrato com a Porto”, explica. 

 

Reinvenção e resultados

Ao longo de 2021, o Instituto Porto atendeu cerca de 700 adultos(as) e 170 crianças on-line, manteve a Escola Empreendedora de Costura com 40 costureiros(as) e trabalhou com aproximadamente 60 jovens aprendizes. Em setembro deste ano, as atividades presenciais começaram a ser retomadas, com 80 crianças voltando ao presencial. 

Cerca de 80 alunos(as) dos cursos profissionalizantes também se prontificaram a voltar. “As aulas virtuais continuam acontecendo, e focamos no retorno das aulas práticas para quem se sentisse seguro(a) para retomar aos cursos de informática, auxiliar de cabeleireiro, artesanato e auxiliar de mecânica”, conta Andreia. 

Os(as) professores(as) também tiveram de se reinventar. “A professora do curso de cabeleireiro utilizou bonecas para fazer os cortes, a de artesanato fez as demonstrações ao vivo e enviamos os kits para as casas dos(as) alunos(as), para que pudessem treinar simultaneamente”, anima-se. 

Manter as atividades do Instituto em funcionamento, com o mesmo padrão de qualidade, levando em conta as limitações das pessoas atendidas em relação aos equipamentos e à internet foi, sem dúvida, o principal desafio nos últimos dois anos. Andreia relata a preocupação da equipe ao pensar que quem mais precisa poderia ficar sem os nossos serviços por tempo indeterminado. Mas, felizmente, com muita determinação e dedicação, tanto da equipe como dos(as) alunos(as) e suas famílias, foi possível seguir e alcançar grandes resultados.

Para o infinito e além 

Para 2022, a grande expectativa do Instituto Porto é passar por um processo de transformação digital. “Nossa meta para o ano que vem é crescer com credenciais de inovação, adotando inscrição, triagem e seleção on-line para os cursos. Estamos viabilizando sistemas para dar suporte e melhorar o atendimento. E vamos testar o modelo híbrido para alguns cursos”, planeja Andreia. 

Parte da formação oferecida tem viés comportamental, com atividades que funcionam bem no formato on-line. Essa parte do conteúdo será cursada via aplicativo, com patrocínio de dados feito pelo Instituto. Além disso, foi feita a reformulação do site e a criação de um blog para melhorar a comunicação com os(as) aluno(as). 

“Vemos a Porto sendo cada vez mais um porto seguro para comunidade. Nós enxergamos o Instituto como um parceiro dos negócios da empresa. Afinal, formamos pessoas também para as áreas da Porto, comercializamos brindes. Ainda que nem todos os cursos estejam ligados diretamente, eles seguem uma vocação econômica, criam empregos e contribuem para a sociedade. Ou seja, estamos criando estratégias e oportunidades socioambientais, que também contribuem com o negócio”, pondera Andreia. 

Outra novidade é a plataforma de captação de recursos. “Convidamos colaboradores(as) e corretores(as) para doar voluntariamente, de forma livre, para fazer junto com a gente. A Porto é a mantenedora do Instituto, mas ela tem um teto de investimentos. Usamos a força e a confiança que as pessoas têm na marca para atrair mais colaborações. Este foi um ano de sucesso também nesse aspecto, os(as) colaboradores(as) e corretores(as) participaram e atingimos quase R$300 mil em doações”, comemora. 

Vamos juntos(as)?

Não custa lembrar que os(as) colaboradores(as) que quiserem contribuir com o Instituto de outras maneiras podem oferecer palestras, mentorias, coaching para os(as) jovens aprendizes, gravar vídeos para as crianças e muito mais. Não deixe de dar uma olhada no site do Instituto, conhecer e divulgar as iniciativas para que ele seja cada vez mais um porto seguro para quem precisa. 

Palavras de quem teve a vida transformada pelo Instituto Porto

Fernanda Pedreira, jovem aprendiz da área de RH (arquivo).

“Em 2020, eu entrei no site da Porto e descobri o Instituto. Encontrei o curso para jovens aprendizes e achei que faria sentido, já que eu não tinha experiência no mercado. Eu nunca tinha participado de uma entrevista, mas passei, entrei no curso de capacitação e achei sensacional. Depois participei da primeira entrevista com a psicóloga, e passei para trabalhar com a primeira gestora que me entrevistou. Estou na Porto há onze meses, e desde fevereiro trabalhando no RH, na área de Recrutamento e Seleção de Seguros e Comercial. Entrar aqui foi um grande salto. Eu tenho 22 anos, não tinha experiência, e tinha curiosidade em conhecer a área que atuo. O Instituto, os cursos de capacitação e de Jovem Aprendiz me amadureceram muito. Para quem está em dúvida em se inscrever eu diria: venha! Eu sempre comento da Porto porque não é algo comum, não dá para comparar com outros cursos que vejo por aí. As matérias são diferentes, o método é totalmente diferente, tem palestras, mentoria e a possibilidade de receber um feedback. Vale muito a pena!”.
Fernanda Pedreira, jovem aprendiz da área de RH

Gabrielly Paganelli, jovem aprendiz da área de Atendimento CCM (arquivo pessoal).

Conheci o Instituto por meio de uma colega de trabalho da minha mãe e me interessei pelo curso de Auxiliar de Escritório. Eu havia acabado de me formar no Ensino Médio. Depois da finalização do curso, fui chamada para algumas entrevistas. Em 2019, fiz o curso de capacitação de jovem aprendiz e, em 2020, fui chamada para trabalhar na área Comercial. Meu contrato como jovem aprendiz vai até janeiro de 2022. O Instituto me ensinou muito, em todos os cursos que eu fiz. Consegui me desenvolver muito em vários aspectos. Comunicação, escrita, senso crítico, pacote Office e habilidades comportamentais que aprendi durante o curso com os(as) professores(as) e com os(as) outros(as) alunos(as). Para quem está ingressando eu diria para a pessoa aproveitar ao máximo tudo o que é oferecido. O Instituto oferece uma oportunidade de desenvolvimento profissional e pessoal excelente, ajudando muita gente a se colocar no mercado de trabalho. Os(as) professores(as) são maravilhosos(as), dão muita atenção a todos(as), de forma muito acolhedora. Aproveitem!”.
Gabrielly Paganelli, jovem aprendiz da área de Atendimento CCM

Comentários

{{comment.parent.comment_author}}
{{comment.parent.comment_date}}
{{comment.parent.comment_content}}
Comentar
{{children.comment_author}}
{{children.comment_date}}
{{children.comment_content}}
Comentar
Ver mais comentários

Matérias anteriores

Braços abertos e muita segurança para recebê-los de volta
O Porto Ideias está cheio de novidades e aberto a todos os colaboradores
PX é um espaço para imersão na experiência do cliente.