Tudo o que você sempre quis saber sobre o Conselho de Administração da Porto…

… nós perguntamos ao Bruno Garfinkel!

Você sabe o que faz, como funciona e por quem é composto o Conselho de Administração da Porto Seguro? Se você sempre teve curiosidade sobre esse tema, mas não sabia para quem perguntar, não se preocupe! O Nosso Porto bateu um papo com Bruno Garfinkel para esclarecer sobre essa instância e entender melhor a sua importância para a Companhia. 

Bruno Garfinkel, presidente do Conselho de Administração da Porto Seguro (arquivo).

Presidente do Conselho de Administração da Porto Seguro desde 2019, Bruno está à frente de uma série de novidades e posicionamentos, como a abertura do Conselho para colaboração externa, programas como o Meu Porto Seguro e a campanha #nãodemita. Sobre o papel do Conselho, ele sintetiza: “É um lugar de mais perguntas do que certezas, onde ninguém tem medo de não saber as coisas. Serve de inspiração para todas as lideranças da empresa”. 

Nosso Porto: Qual é o papel do Conselho de Administração da Porto Seguro?
Bruno Garfinkel: O Conselho de Administração é uma obrigação formal da lei das Sociedades Anônimas. Sua função é garantir que a empresa cumpra com suas diretrizes e verificar se ela está fazendo uso correto de seus ativos: valores, edifícios, computadores, recursos humanos etc. O Conselho preza também pelo clima, pela felicidade das pessoas no dia a dia. Ou seja, tudo o que está no DNA, na essência. 

NP: Qual é a lógica de composição do Conselho?
BG: No início, o Conselho era formado por colaboradores bem próximos, pessoas de confiança que já estavam inseridas no contexto da Porto. Fomos desenvolvendo um Conselho mais formal, sobretudo com a chegada do Itaú. O Banco nos ajudou a entender outras funções e atribuições. Quando assumi, avaliei que tínhamos muita gente de dentro, e pouca gente com experiências de fora. E a riqueza é exatamente o olhar externo. Por isso, queremos outras pessoas tomando conhecimento da nossa estratégia, alertando e colaborando ao trazer novas ideias (veja abaixo o box com a composição do Conselho). 

O Conselho não é um lugar para ter razão, mas de discussões e boas ideias
Bruno Garfinkel

NP: Como o Conselho se relaciona ao dia a dia da Porto Seguro?
BG: O Conselho é uma avenida de mão dupla. Além de todo o conhecimento externo, existem as ideias internas da Porto Seguro. O Conselho é um excelente espaço para um executivo que tem uma ideia testá-la, checar se está no caminho certo, ou se precisa de ajustes. É o lugar perfeito para termos dúvidas. Uma reunião em que ninguém tem dúvidas não é uma boa reunião. Se todo mundo sabe exatamente o que está fazendo, algo está errado. É uma oportunidade de aperfeiçoar o pensamento.

NP: De quais maneiras o Conselho se integra aos objetivos da nova temporada: dobrar o número de clientes e integrar clientes e negócios?
BG: Quando trouxemos pessoas de outros mercados percebemos que não somos apenas uma seguradora, mas sim uma empresa que se especializou em prestar serviços de alta qualidade. Quando há pluralidade de negócios, você precisa enxergar o cliente que tem mais de um produto contratado na Companhia, para que ele não fique “pingando” para resolver seu problema.

 

A Porto Seguro pode sonhar maior. E se o mercado cresce, crescem também as oportunidades para todos os colaboradores
Bruno Garfinkel

Bruno Garfinkel, presidente do Conselho de Administração da Porto Seguro (arquivo).

NP: Como o Conselho se envolveu nas ações de combate às consequências da pandemia de Covid-19?
BG: O cargo de presidente do Conselho tem uma abertura para o mercado, as pessoas me procuram para falar de alguns temas como, por exemplo, o #nãodemita. Recebi essa demanda e achei que faria sentido num momento de muitos problemas causados pela pandemia. Já o Meu Porto Seguro nasceu dentro e fora de casa. Quando se deparou com a calamidade causada pelo Covid-19, o Jayme (Garfinkel, ex-presidente do Conselho da Porto Seguro) me telefonou e perguntou o que a Porto Seguro iria fazer. Naquele dia, ele foi a voz do Brasil, dos acionistas, e colocou que gostaria de nos ver fazendo algo relevante. Teria de ser uma ação com a nossa cara, além de uma doação, e que conversasse com a nossa essência. Num bate-papo com o Roberto Santos, chegamos ao modelo de contratação temporária das pessoas, que teriam a chance de aprender algo novo. Submeti a ideia à aprovação do Conselho, e ela foi amplamente apoiada, o que demonstra que temos um grupo conectado com a essência de ser cada vez mais um porto seguro para os nossos clientes, colaboradores, corretores, acionistas, prestadores, para o Brasil. 

NP: De que forma o Conselho enxerga a questão da diversidade e inclusão?
BG: A Porto é uma empresa diversa. Com 12.500 colaboradores, nós temos um extrato da sociedade. Desde que o Jayme assumiu a Companhia já trabalhávamos dentro dos melhores e mais altos padrões de responsabilidade ambiental, social e de governança (ASG), porque isso reflete a ética do indivíduo, os princípios da família Garfinkel e dos grupos que investem na Porto Seguro. Sentimos falta de mais presença feminina nos altos cargos, mas isso não é algo que se resolve rapidamente. Precisamos dar maturidade ao grupo para que ele se desenvolva e, ao mesmo tempo, oportunidades para os indivíduos. Dar as mesmas chances para todos.

 

O fato de termos criado a essência de ser cada vez mais um porto seguro é muito forte. Hoje, todos os colaboradores têm muito orgulho dessa essência, e eu também
Bruno Garfinkel

NP: Temos visto uma Porto diferente aparecer nas novas campanhas de comunicação. Você poderia dar um spoiler do que vem por aí?
BG: De fato, algo está acontecendo. Outro dia, coloquei esse processo no papel de forma linear. O ponto 1 foi o desenho da essência: ser cada vez mais um porto seguro. O item 2 foi o sonho, a materialização da essência. Como podemos fazer isso? Estando em mais lares, dobrando a quantidade de clientes. Mas será que o número de veículos no Brasil vai dobrar para que possamos alcançar o sonho? Provavelmente, não. E isso torna nosso sonho impossível? Não, a gente ajusta o sonho. Do item 2 surge o item 3, somos mais do que uma seguradora. Mas isso traz desafios de integração entre negócios e clientes. E vem daí o item 4: a integração que coloca o cliente no centro. Na sequência, percebemos que para  concretizar tudo isso precisamos de ajuda. E investimos em pessoas, em talentos que se complementam. A Porto está testando caminhos. De minha parte, o comprometimento é total. Se conseguirmos realizar esse sonho, será algo que milhares de pessoas irão comemorar juntas, espero que numa bela festa de fim de ano. 

NP: Qual mensagem você deixaria para os colaboradores da Porto?
BG: Não tenham medo de ter dúvidas, de pedir ajuda e ter os seus conselheiros. Todos deveriam eleger seus próprios Conselhos de Administração, que possam colaborar com o seu desenvolvimento de vida. Seja um avô, pais, esposa, um amigo, o chefe. Procurar ter pessoas para trocar ideias, pois a vida que é compartilhada é aperfeiçoada. Não há necessidade de enxergar o Conselho da Porto como um bicho-papão, mas como uma inspiração para a vida de cada um.

 

Eu sinto a mesma coisa que todo mundo está sentindo, a vontade de ver a Porto realizar esse sonho
Bruno Garfinkel

Quem é quem no Conselho de Administração da Porto Seguro

Paulo Kakinoff é presidente da Gol Linhas Aéreas. Traz o universo das companhias aéreas para a Porto. Afinal,  trata-se de indústria que, à semelhança das seguradoras, vende seus produtos por meio de parceiros. Além disso, é uma área que detém bastante conhecimento em análise de dados. 

Patricia Calfat é head do Youtube no Brasil e também atuou no Google. Além de se destacar na parte de digital, traz um olhar sobre a inclusão e sobre como a pluralidade pode colaborar para o desenvolvimento de um projeto de longo prazo. 

Ana Luiza Garfinkel é a gestora da Crescer Sempre. Contribui para as discussões do Conselho com seu perfil detalhista e cauteloso, trazendo perguntas pertinentes e boas reflexões. 

Pedro Cerize já fez vários aniversários no Conselho da Porto, e representa os acionistas minoritários. É expert em investimentos e colabora muito no dia a dia do time responsável por eles. 

Marco Bonomi é ex-vice-presidente do Banco Itaú e foi o braço direito de Roberto Setúbal (ex-presidente do Itaú). É um grande mentor do desenvolvimento organizacional da Porto Seguro. 

André Rodrigues é o atual vice-presidente do Itaú e responsável pelo varejo do Banco. Aporta seu conhecimento sobre o atendimento na ponta do negócio, contribuindo para aumentar as vendas e a capilaridade dos produtos da Porto Seguro.

Ufa! Quanta coisa importante o Conselho de Administração da Porto Seguro faz, hein? Qual característica te surpreendeu mais?
Pluralidade de ideias
Guardião da essência da Porto
Pluralidade de ideias
Guardião da essência da Porto

Comentários

{{comment.parent.comment_author}}
{{comment.parent.comment_date}}
{{comment.parent.comment_content}}
Comentar
{{children.comment_author}}
{{children.comment_date}}
{{children.comment_content}}
Comentar
Ver mais comentários

Matérias anteriores

Braços abertos e muita segurança para recebê-los de volta
O Porto Ideias está cheio de novidades e aberto a todos os colaboradores
PX é um espaço para imersão na experiência do cliente.