É hora de ficar em casa, mas nada de tédio

Recheie sua agenda cultural nesta quarentena com dicas do Nosso Porto.

A epidemia do coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Há alguns meses, quando planejamos a primeira edição do Nosso Porto, ninguém imaginava que em vez de indicar a peça que estaria em cartaz no Teatro Porto Seguro quando a revista estreasse, listaríamos programas para você assistir dentro de casa – o que também pode ser bem divertido.

Já disse algum famoso que a vida não segue um roteiro tão definido quanto gostaríamos. A capacidade de nos adaptar às mudanças e encarar as dificuldades com leveza e coragem serão competências mais do que necessárias nesta temporada (tratamos desses temas aqui e aqui).

Mas o Nosso Porto também está aqui para levar para a sua quarentena arte e cultura. Para isso, trouxemos algumas dicas para curtir em casa, enquanto torcemos para que uma reviravolta nesse script coloque tudo de volta nos eixos.

Série de TV – Stranger Things

Que tal aproveitar o tempo livre com uma série que mistura elementos de mistério, ficção-científica, humor a um irresistível retorno aos anos de 1980?

Stranger Things, cujas três temporadas estão disponíveis na Netflix, traz tudo isso, além de uma trilha sonora de primeira.

A história começa com o desaparecimento de Will Byers, um garoto de doze anos, numa pequena cidade fictícia do estado de Indiana, EUA. Para descobrir seu paradeiro, sua mãe, o chefe da polícia local e seus amigos Mike, Dustin e Lucas iniciam as investigações. Quando os meninos encontram uma estranha garota que sabe onde Will está, as coisas começam a ficar esquisitas e perigosas.

Série de TV – Sex Education

Otis é um adolescente inseguro e tímido, mas que sabe absolutamente tudo sobre sexo por influência de sua mãe, uma descolada sexóloga. Seus conhecimentos chamam a atenção de Maeve, uma garota bonita e rebelde, por quem Otis nutre uma paixão secreta. A união dos dois transformará Otis no terapeuta sexual de centenas de adolescentes que frequentam o ensino médio, num tradicional colégio inglês.

Divertida e comovente, Sex Education aborda temas como amadurecimento, relações, gênero e diversidade. Não se deixe enganar pela estética teen, pois a série vai muito além de um passatempo com cara de sessão da tarde. Suas duas temporadas estão disponíveis na Netflix.

Série de TV – A vida e a história de Madam C. J. Walker

Histórias reais de empreendedorismo e sucesso costumam render bons filmes e séries. A mais comentada do momento é, sem dúvida, A vida e a história de Madam C. J. Walker. Se você ainda não ouviu falar nessa figura admirável, saiba que ela foi simplesmente a primeira mulher dos Estados Unidos a se tornar milionária a partir de seu próprio esforço. Negra e pobre, filha de escravos, ela enfrentou inúmeros episódios de racismo, machismo e quebrou outras tantas barreiras para transformar uma fábrica caseira de produtos de beleza num império de cosméticos que são vendidos até hoje. Para completar, a personagem principal é interpretada por Octavia Spencer, atriz premiada com o Oscar. Disponível na Netflix.

Filme – O menino que descobriu o vento

Outra história real que promete inspirar e trazer esperança é a do filme O menino que descobriu o vento. William Kamkwamba era apenas um garoto quando o vilarejo em que morava com sua família no Malawi, foi assolado por uma grande seca. Forçado a deixar a escola por falta de dinheiro para as mensalidades, Kamkwamba estudou princípios de eletricidade por conta própria e construiu uma improvisada turbina eólica, utilizando materiais reciclados, com o objetivo de montar um sistema de irrigação e viabilizar a agricultura local. O filme é uma produção original da Netflix e exalta a criatividade e a coragem de um menino disposto a transformar a realidade de sua comunidade.

Livro – O sol é para todos

Nada melhor para desligar um pouco da realidade do que um daqueles livros que nos fazem mergulhar na história de tal forma que não conseguimos largar até terminar. O sol é para todos é um deles. Um dos grandes clássicos da literatura americana, conta a história de Scout, a filha de um advogado que defende um homem negro acusado de ter cometido um crime no anos 1930. Escrito em 1960 por Harper Lee, O sol é para todos se mantém atual ao tratar de temas como tolerância, preconceito, justiça e perda da inocência.

 

Festivais on-line

Se você é daqueles que não perde um show de seu músico ou banda favoritos, deve estar sofrendo um pouco mais por ter de ficar em casa. Mas a quarentena reserva algumas surpresas, e desde que o isolamento social foi recomendado, diversos artistas se uniram para organizar festivais de música on-line.

Com o apoio do jornal O Globo, o festival #tamojunto realizou duas edições em março, contando com a participação de nomes como Zélia Duncan, Duda Beat, Baby do Brasil e Alok. E mais edições devem vir por aí.

A Casa Natura Musical, localizada em São Paulo, após adiar todos os espetáculos que entrariam em cartaz, decidiu promover shows on-line apresentando novos talentos da música nacional. A programação do projeto Sala de Casa está sendo divulgada semanalmente no perfil de Instagram @casanaturamusical

E para quem curte ouvir música de todas as partes do Brasil, o Mi Sala Su Sala é um festival organizado diretamente por artistas e produtores. Acontece até 30 de abril. Confira a programação no Instagram @misalasusalafestival

Comentários

{{comment.parent.comment_author}}
{{comment.parent.comment_date}}
{{comment.parent.comment_content}}
Comentar
{{children.comment_author}}
{{children.comment_date}}
{{children.comment_content}}
Comentar
Ver mais comentários

Matérias anteriores

O que a nova temporada da Porto tem a ver com a série de sucesso?
Assista aos espetáculos em cartaz de um jeito diferente.
Como montar a melhor programação para a quarentena.