A Porto Seguro dentro da nossa casa

Colaboração é a chave para as equipes em trabalho remoto.

Você já ouviu esta história: como em tantos outros projetos, estava tudo pronto para o lançamento do programa de transformação cultural idealizado pela área de TI da Porto Seguro quando a pandemia de COVID-19 fez com que todas as equipes entrassem em trabalho remoto. A solução? Transformar um evento que aconteceria de forma 100% presencial em remoto, via Google Meet. E foi um sucesso.

Andreza Diniz, colaboradora da área de Governança de TI (arquivo pessoal).

Andreza Diniz, da área de Governança de TI e uma das responsáveis pela organização do evento, conta que, para quebrar o gelo imposto pelo distanciamento, perguntou aos inscritos onde eles estavam fisicamente e o que enxergavam como a maior dificuldade enfrentada até ali. ˝Recebi as respostas e me emocionei com os relatos. Montamos um mapa com as localizações e criamos a hashtag #juntosmasdistantes. Foram duas horas muito bacanas˝, relembra.

Ricardo Tonon, Coordenador de Inovação na Oxigênio Aceleradora, também precisou encontrar uma forma de aproximar sua equipe. Ele relata que seu time de pesquisa e inovação, composto por quatro pessoas, trabalhava presencialmente na aceleradora. Para eles, o trabalho remoto foi uma novidade, ao contrário de outros times que já estavam habituados ao modelo.

De cara, sentiram falta do contato com o qual estavam acostumados. A solução foi criar uma reunião diária, com duração de 15 minutos, chamada de ˝olho no olho˝. ˝Achamos que essa iniciativa diminuiu o impacto do distanciamento. Na medida em que nos acostumamos, fomos reduzindo a frequência. Mantivemos o ˝olho no olho˝ às segundas e sextas, e nossa reunião semanal, às quartas˝. 

Maratonando a inovação 

Da esq. para a dir.: Tatiana Araujo de Souza, Caio Santos, Ricardo Tonon, Perla Lacerda e Mauricio Martinez (arquivo).

A equipe de inovação enfrentou um desafio parecido ao de Andreza e o time de TI: transformar a quarta edição da Maratona de Inovação num evento 100% virtual. ˝As três primeiras edições foram híbridas, 60% remotas e 40% físicas. Tínhamos planejado rodar no mesmo formato em 2020, mas com a pandemia ela será 100% on-line˝, conta Tonon.

O pulo do gato foi potencializar o uso de novas tecnologias de trabalho remoto. O diferencial dessa edição é ensinar aos colaboradores o uso de novas tecnologias para trabalhar de forma remota com eficiência. Tonon continua: ˝quando colocamos que iríamos ensinar isso, tivemos um grande número de inscritos˝. 

Maratona de inovação

Quem não gostaria de resolver um problema, desenvolver uma tecnologia, ou criar um produto ou serviço para uma empresa? Esse é o objetivo da Maratona de Inovação da Porto Seguro.

˝Todos os anos temos boas entregas˝, conta Tonon. O colaborador sai com o legado do conhecimento e tem a oportunidade de propor uma solução para questões realmente enfrentadas pela Companhia. É uma grande chance de se destacar e contribuir com os nossos sonhos.

Este ano serão cinco desafios nas áreas de Auto, Residência, Seguro fiança, Patrimônio, Novos produtos e serviços. ˝Além do aprendizado, existe a possibilidade de ver sua solução aplicada na prática˝, conclui Tonon.

Além da Maratona, a área de Inovação da Porto desenvolve outras iniciativas muito interessantes, como o Programa de Aceleração de Startups e o Porto Ideias. Vale a pena dar uma olhada na Portonet para saber mais e visitar o site da Oxigênio.

Mantendo a colaboração

Adriano Padilha, especialista do Centro de Agilidade de TI (arquivo pessoal).

Para viabilizar essas ˝viradas de chave˝ em tempo recorde, a colaboração entre as equipes foi, e ainda é, fundamental. Além da rapidez com que as ações foram tomadas pela equipe de TI.

Adriano Padilha, especialista do Centro de Agilidade de TI, destaca que o compromisso dos colaboradores da Porto possibilitou a continuidade do negócio em trabalho remoto. ˝Estamos fazendo o triplo de reuniões, porém mais assertivos e focados. Um exemplo é o trabalho de Lean Inception, que fazíamos em quatro dias inteiros, e que hoje leva apenas três manhãs, com o mesmo resultado˝, afirma.

A equipe de TI teve o desafio extra de adaptar as práticas de métodos ágeis – metodologia pensada para ser aplicada presencialmente – para a nova realidade de trabalho à distância. ˝Criamos dashboards com post-its virtuais para ideação, ações de engajamento, e reuniões constantes de alinhamento, além de outras adaptações˝, conclui Adriano.

Andreza, que costumava ter acesso à possibilidade de trabalhar à distância, conta que, na equipe da qual faz parte, mesmo quem nunca tinha experimentado está aderindo. ˝O nível de distração é menor, a gente entrega mais. Os índices de participação nas lives têm sido superiores aos dos eventos presenciais, o índice de capacitação continuou normal, e sinto que as pessoas estão lendo mais os comunicados, estão mais engajadas e atentas aos detalhes˝.

Vamos tomar um café? 

Desde o início da quarentena, a equipe com quem Andreza trabalha se encontra, todas as quartas-feiras, para falar sobre qualquer coisa, menos trabalho. ˝Às vezes não consegue entrar todo mundo, mas sempre tem umas 6 ou 8 pessoas, no mínimo. A gente troca receitas, fala de filhos, dá risada. Isso mantém a integração˝.

A partir disso, surgiu uma ideia para o programa #TIjogajunto desenvolver, chamada ˝Pausa para o Café˝. A intenção é fazer a tão corriqueira pausa que acontece quando todos os colaboradores estão na empresa, e que acaba proporcionando encontros na copa.  

Andreza explica: ˝São salas virtuais para que as pessoas consigam se encontrar. Cada voluntário da Frente de Transformação Cultural convida duas pessoas de áreas diferentes da sua para esse bate-papo. O nível de integração com as outras áreas da TI aumentou˝. 

A Porto Seguro na nossa casa  

Apesar das conquistas inegáveis das equipes que se transformaram e reinventaram seus processos, é normal sentir saudades. ˝A aceleradora Oxigênio fica num galpão com um espaço bacana, ambiente inspirador. Doeu um pouco ter de deixar de ir para lá˝, conta Tonon. 

Para Adriano, a necessidade de adaptação às distrações de casa como gato, cachorro, filho, trouxe mais colaboração entre as equipes, já que todos estão na mesma situação. 

Em contrapartida, a pandemia trouxe a Porto para dentro da casa dos colaboradores. ˝Consigo ficar perto do meu filho. Acompanhar o desenvolvimento dele tem impactado na qualidade da minha vida profissional, pois juntei as duas coisas que mais gosto na vida: minha família e o trabalho˝, diz Andreza. 

Para ela, o coleguismo aumentou durante a quarentena. ˝Tive algumas experiências doidas. Uma vez, meu cachorro rosnou para o meu filho no meio de uma reunião e eu dei um grito Raaaaul. Voltei desesperada e pedi desculpas, mas um dos participantes disse: ˝essa é a beleza de estar trabalhando remotamente, isso vai acontecer e é o normal˝. Afinal, a Porto está vindo para dentro da minha casa˝. 

Comentários

{{comment.parent.comment_author}}
{{comment.parent.comment_date}}
{{comment.parent.comment_content}}
Comentar
{{children.comment_author}}
{{children.comment_date}}
{{children.comment_content}}
Comentar
Ver mais comentários

Matérias anteriores

Braços abertos e muita segurança para recebê-los de volta
O Porto Ideias está cheio de novidades e aberto a todos os colaboradores
PX é um espaço para imersão na experiência do cliente.